Rotina de Pele Noturna – Ácido Glicólico e L'Oréal Revitalift Hialurônico

Se a febre do skincare não te pegou nem um pouquinho, saiba que eu te admiro imensamente! Já na adolescência eu era consumidora feroz da linha Clearskin da Avon, minha pele era bem oleosa e com uma quantidade considerável de cravos e espinhas concentrados da testa, nariz e queixo.

Agora que eu sou uma 30+ o cuidado redobrou, falei um pouco sobre isso aqui. O ótimo é que cada vez temos mais opções e principalmente mais informações sobre o assunto.

Ácido Glicólico

Você conhece ele? Ele vem da cana de açúcar e sua maior função é promover a descamação e, assim, renovar da pele.

Benefícios: Ajuda a rejuvenescer a pele por conta da esfoliação e estimula o colágeno; trata a flacidez da pele; controla a oleosidade; minimiza rugas e linhas de expressão; clareia manchas e ainda remove lesões de acnes.

Antes (provavelmente lá na minha adolescência) ele era indicado apenas para peles acneicas, mas hoje ele é um dos queridinhos do cuidado com a pele.

Eu uso o da The Ordinary e comprei no Mega Vaidosa foi a primeira vez que comprei no site, que manda direto dos EUA, chegou relativamente rápido e não fui taxada. Paguei R$129,00 e é enorme.

A The Ordinary é conhecida por ter produtos bons e baratos no site da marca canadense os preços são bem maravilhosos (até mesmo com o dólar a quase 5 reais!).

A recomendação é usar com a pele limpa, apenas uma vez por dia e obrigatoriamente a noite.

Como eu disse acima, ácido glicólico faz uma esfoliação química, retirando as células mortas, tirando as ondulações e imperfeições da pele, fazendo com que da pele fique mais lisa, mais uniforme.

No primeiro uso achei que pinicou demais o rosto, ficou vermelho, achei estranho, depois a sensação vai diminuindo.

Passo ele após o banho, com algodão. Deixo ele agindo sozinho até secar. Já nos primeiros usos a textura da pele muda totalmente, fica bem lisa e é algo que perdura. Diferente de quanto fazemos a exfoliação em casa e no outro dia o rosto já está áspero novamente.

A pele realmente fica mais clara, mas viçosa. Eu uso 3/4 vezes por semana. Ah e em nenhum momento a pele fica descamando, ok? Recomendo muito, nunca ficarei sem o meu!

L’Oréal Revitalift Hialurônico – Noturno

Antes de ir dormir, literalmente porque deixo o ácido agindo sozinho até lá, eu tenho usado o Revitalift da L Oréal.

Eu nunca tinha usado nada da marca porque as propagandas são bem ruins, né? Aquelas atrizes super famosas com uma dublagem péssima hahahahaha porém eu tenho um tia que tem a pele mais maravilhosa que já vi na minha vida e ela falou que o antiidade que ela mais gostava era da L Oréal, essa foi a deixa para eu dar uma chance para a linha hialurônico Revitalift.

Foi menos de 60 reais, é encontrado em qualquer farmácia e é muito bom. A textura é boa, hidrata, mas não é oleosa, a pele acorda macia já no primeiro dia e sinto muita falta quando não uso!

Acredito que ele não seja super potente para peles mais maduras, mas perfeito a partir dos 25+.

A linha é composta pelo creme noturno, diurno e para os olhos. Quero o diurno também. A principal diferença é que sinto minha pele mais firme e lisa, meu potinho está quase no final e recomendo também 🙂

Melhores livros que li em 2019

Eu não sei se começo pedindo desculpas pelo sumiço ou se finjo que nada aconteceu e sigo o baile. Fato é que 2019 foi um ano incrível, cheio de realizações, viagens, amor, trabalho. O que era pra ser um ano cheio de posts maravilhosos, não foi. Eu não sou cheia de metas, mas em 2020 eu quero me dedicar mais a esse espaço que recebe a visita de pessoas tão legais, sempre! Então, posso começar?

Melhores Livros de 2020

Biografia: Michelle Obama – Minha História

Eu que não sou muito fã desse gênero, fiquei apaixonada pela história da Michelle!

Livro que mais amei: Tetralogia Elena Ferrante

Comecei a ler nos últimos dias de 2018, escrevi sobre ela aqui e recomendo para todas as mulheres do mundo. Essa série mexeu tanto comigo, que comecei a reler o primeiro livro logo no primeiro dia de 2020.

Romance: Um Lugar Bem Longe Daqui

Tem post também e foi um livro que me transportou 100% para a história, eu vivi no brejo, eu senti toda a emoção. É lindo!

Melhor suspense/policial (e menções honrosas): Mate o Próximo

Cada página desse livro é uma surpresa, tem resenha aqui leiam, sério!

Como segue sendo meu gênero favorito temos menções honrosas: A Paciente Silenciosa, O Desaparecimento de Stephanie Mailer, Deixada Para Trás, O Homem de Giz, entre outros.

O Livro Mais Louco: A Vegetariana

É um livro coreano e nem sei explicar, nem se eu recomendo, é apenas louco hahahaha

Livro Que Não Decepcionou: Nove Desconhecidos

Eu amo a Liane, amo! Estava com medo do último lançamento, por fugir um pouco do enredo dela, mas mais uma vez ela foi incrível!

Drama (? acho que não sei definir gêneros): O Pintassilgo

O livro mais longo do ano também. Eu amei, de verdade e tem resenha aqui.

Melhor Livro Leve: PS de Paris

Fofo, engraçado e que dá uma vontaaaaade de ir pra Paris 🙂

Que em 2020 eu, você, sua mãe, seu pai, seus filhos, vizinhos e amigos leiam muito, leiam mais ❤

Dois livros e alguns podcasts

Saudade de indicar livros por aqui ❤

Tive um lesão na córnea e fiquei uns tempos evitando celular, computador, TV, Kindle e tudo mais, então dei uma diminuída nas leituras, me apeguei aos podcasts e vim indicar os dois aqui.

Um Lugar Bem Longe Daqui

Por anos, boatos sobre Kya Clark, a “Menina do Brejo”, assombraram Barkley Cove, uma calma cidade costeira da Carolina do Norte. Ela, no entanto, não é o que todos dizem. Sensata e inteligente, Kya sobreviveu por anos sozinha no pântano que chama de lar, tendo as gaivotas como amigas e a areia como professora. Abandonada pela mãe, que não conseguiu suportar o marido abusivo e alcoólatra, e depois pelos irmãos, a menina viveu algum tempo na companhia negligente e por vezes brutal do pai, que acabou também por deixá-la.

Anos depois, quando dois jovens da cidade ficam intrigados com sua beleza selvagem, Kya se permite experimentar uma nova vida — até que o impensável acontece e um deles é encontrado morto.

Ao mesmo tempo uma ode à natureza, um emocionante romance de formação e uma surpreendente história de mistério, Um lugar bem longe daqui relembra que somos moldados pela criança que fomos um dia e que estamos todos sujeitos à beleza e à violência dos segredos que a natureza guarda.

Na Bienal Rio ele estava sendo anunciado como o livro mais emocionante do ano. Não sei se posso afirmar isso, mas eu senti o brejo, vivi a solidão da Kya e suas descobertas.

A obra se passa entre os anos 60 e 70, mas aborda temas como o abandono parental, o preconceito racial e a pobreza, bem conectada a assuntos contemporâneos. 

A trama tem um reviravolta e o final é surpreendente, mas nem precisava. Um Lugar Bem Longe Daqui já tinha me conquistado logo no início.

Nove Desconhecidos

Nove pessoas se reúnem em um spa bem distante da cidade. A quilômetros da civilização, sem carro nem celulares, elas não têm qualquer contato com o mundo exterior. Apenas tempo para pensarem em si mesmas e se conhecerem melhor. Algumas estão lá para perder peso, algumas para tentar recomeçar a vida, outras por razões inconfessáveis até para elas mesmas. No meio de tanto luxo e mimo, sucos e meditação, todos sabem que vão precisar se esforçar nos próximos dez dias. Mas ninguém é capaz de imaginar o tamanho do desafio.

Frances Welty, escritora de romances best-sellers, chega à Tranquillum House com um problema nas costas, um coração partido e um corte no dedo extremamente dolorido. Ela logo fica intrigada com os colegas de retiro — a maioria não parece precisar de fato de um spa. Mas quem mais a deixa curiosa é a diretora. Será que ela tem as respostas que Frances nem sabia que estava procurando? Será que Frances deve colocar suas dúvidas de lado e mergulhar em tudo que o spa tem a oferecer? Ou é melhor fugir enquanto é tempo?

Não demora muito para que todos os hóspedes estejam se fazendo esta pergunta.

O que a Liane escrever eu vou ler e defender sempre, ponto.

Mas esse livro é totalmente diferente dos outros dela e de tudo que eu li. Casa capítulo é um das 9 pessoas que narra, isso já é bem incrível!

O livro tem partes hilárias, comocionantes e cada personagem é muito bem construído, como tudo que ela escreve.

Eu amei do começo ao fim. Leiam 🙂

PODCASTS

Esse gênero demorou pra me conquistar, não sabia nem por onde começar, mas a tive indicações maravilhosas, da minha amiga (também maravilhosa) Ligia e compartilho com vocês meus preferidos:

  • Café da Manhã – Um tema por dia, menos de meia hora e um ótimo jeito de começar o dia informado. Amo a Magê Flores ❤
  • Mamilos – O melhor podcast, melhores temas, melhores convidados. O Mamilos é nada menos que essencial na vida das pessoas, aliás ele muda a vida;
  • Foro de Teresina – Necessário para viver 2019;
  • Projeto Piloto – Eu já admirava a Thais Farage e a Lu Ferreira, o PP veio para coroar isso. Temas variados, bom humor e boa informação;
  • É nóia minha? – Divertidíssimo, a Camila Fremder é ótima, os assuntos são leves, é uma hora que nem vejo passar;
  • Debates inúteis – O nome já diz tudo e eu dou risada alto escutando esse trio

Espero que gostem das indicações!

Pela ZL – Ressaca de Setembro

Setembro. Você não leu errado. Setembro foi o mês mais aguardado, amado e louco do meu ano. Ele chegou, ele passou, mas ainda não me recuperei.

Em Setembro teve Bienal, teve Porto Alegre, teve Rock in Rio e teve amor, muito amor, momentos maravilhosos com pessoas incríveis ❤

Para fechar Setembro, já no dia 1º deste mês eu comecei o MBA. Outubro também trouxe o já conhecido inferno astral e no meio de um turbilhão, tive que parar, respirar e ficar de molho uns dias.

Por isso, tchau Outubro, pode vir Novembro ❤ com seus feriados e motivos para comemorar!

E eu que não venho dar ponto sem nó neste blog, vim com duas indicações na ZL

A primeira é da pizzaria Bráz. Bem conhecida em outras regiões da cidade, chegou na ZL no número 1572 da Rua Apucarana.

Bonita como nos outros endereços, estava bem cheia na última sexta, mas esperamos somente uns 15 minutos, enquanto isso ficamos no balcão, pedimos um vinho e ganhamos uma degustação de Clericot, uma delícia, aliás.

Escolhemos o vinho da casa, versão italiano, também tem a opção nacional. Foi uns 110 a garrafa, bem gostoso. Vale a pena provar.

Pulamos as entradas, mas tem boas opções!

A pizza escolhemos 3 sabores (adorei essa opção!) a Carbonara, fiel a nome, Bráz, abobrinha muçarela e parmesão e a Favorita, de 4 queijos.

Pra mim o melhor sabor foi o carbonara, porque a opção, ovo, bacon e parmesão é bem difícil dar errado. Agora, a Bráz eu achei sem sal e a Favorita salgada demais. Juro, não consegui comer metade!

O atendimento foi muito, muito bom. O ambiente é uma delícia, porém para uma pizza deste mesmo nível, eu prefiro sem hesitar a 1900. Que fica na paralela Itapura, e é minha pizzaria preferida.

No dia seguinte fomos conhecer o Bar do Berinjela que fica no mesmo bairro, na Praça Vinte de Janeiro, 67 .

Conhecer não é bem a palavra, a gente já tinha ido lá beber umas cervejas, pós um almoço, estava cheio e os pratos pareciam ótimos.

Aqui vale dizer que estávamos com as expectativas MUITO ALTAS. Porque quando fomos para o RJ (em Setembro <3), nossos amigos fizeram com a gente o Tour Comida Di Buteco da Tijuca, e vocês não estão entendendo, foram os três lugares que eu mais comi bem nesses quase 31 anos de vida. Juro!

A gente crente que ia achar nosso Comida Di Buteco na ZL. Mas não foi desta vez.

A cerveja é gelada (porém 15 contos), o atendimento é ok, as porções são caras, beiram os 40 reais.

Pedimos o trio que concorreu ao concurso neste ano. 35 reais e vem seis bolinhos, um de chuchu (o melhor), um que era uma berinjela empanada (ok) e uma batata bolinha empanada com mortadela (bom, ok) com molho de gorgonzola (delícia). Resumindo: Não vale o preço.

Restaurante, livros e otras cositas más…

Oi, sumi, mas voltei.

Meu sumiço foi 100% causado pela Bienal Rio. Foi culpa da correria prévia, culpa dos 8 dias que passei na cidade maravilhosa e culpa minha também, claro.

A Bienal Rio foi super cansativa, não vi quase nada da programação que não eram do meu cliente, mas fiz questão de ver uma das mesas de debate, era sobre livros do gênero thrillers policiais. Sabe quem estava lá? O Raphael Montes, autor de alguns livros que resenhei aqui no blog.

Inclusive antes de embarcar terminei um lançamento dele Uma Mulher no Escuro.

Eu queria conhecer ele, porque além de ser um grande autor, gostaria de ver se há algum resquício de psicopatia nele. PORQUE NÃO É POSSÍVEL ESCREVER LIVROS TÃO VISCERAIS SEM SER LOUCO.

Mas me deparei um Raphael de fala calma, tranquilo e pasmem, até engraçado! Enfim, quase me decepcionei, mas fiquei ainda mais admirada.

Sobre o lançamento, assim como os outros que li, fiquei sem ar, nauseada com a história da Vic.

Victoria Bravo tinha quatro anos quando um homem invadiu sua casa e matou sua família a facadas, pichando seus rostos com tinta preta. Única sobrevivente, ela agora é uma jovem solitária e tímida, com pesadelos frequentes e sérias dificuldades para se relacionar. Seu refúgio é ficar em casa e observar a vida alheia pelas janelas do apartamento onde mora, na Lapa, Rio de Janeiro.
Mas o passado bate à sua porta, e ela não sabe mais em quem pode confiar. Obrigada a enfrentar sua própria tragédia, Victoria embarca em uma jornada de amadurecimento e descoberta que a levará a zonas obscuras, mas também revelará as possibilidades do amor. Um psiquiatra, um amigo feito pela internet e um possível namorado — qual dos três homens está usando tudo o que sabe para aterrorizar a vida de Vic? E o que afinal ele quer com ela?

Livro tenso e o que me chocou mais nem foi descobrir quem era, e sim, o motivo que levou a tudo isso, é avassalador, juro!

Leiam, é sempre bom exaltar autores nacionais, o Raphael é um grande nome da literatura brasileira.

Já que eu voltei, vamos falar de comida também?

BBQ Farm

O melhor restaurante que conheci nos últimos tempos fica no número 265 da Rua dos Pinheiros, lugar que eu gostaria de morar, aliás.

O nome do restaurante não deixa dúvidas, a especialidade é carne. Servida em diversos cortes, agrada todos os tipos de carnívoros.

O ambiente é legal, nada caricato ou temático, achei aconchegante até. O atendimento foi muito bom do começo ao fim, mas vamos ao que interessa?

A escolha do meu marido foi um Magret de Pato Defumado. Eu nem sou a maior fã de pato, mas esse estava incrível! Extremamente macio, defumado na medida certa e o tempero uma delícia. Juro, para quem gosta é imperdível! Eu não lembro o preço, mas era mais de 70 reais.

Eu fui do carro chefe de casa, Miolo da Fraldinha Black Angus pedi ao ponto e a carne apenas desmanchava. Veio acompanhado de um chimichurri. Este corte custa 67 reais. O ponto veio perfeito e a carne muito macia e saborosa, uma das melhores que comi ultimamente.

Os acompanhamentos são a parte, pedimos algo que eu sempre tive lombrigas pra provar, Aligot que é um purê de batata com infusão de queijos Gruyère e Minas Padrão, a porção, que tamanho médio custa 24 reais e eu comeria quilos disso! hahahahahah juro! Maravilhosa

E pedimos fritas temperadas porque batata nunca é demais! E também estavam ótimas.

Ficamos tão tão empolgados com tudo que comemos que até pedimos sobremesa, coisa que raramente fazemos. O Cheeeseke de Doce de Leite também não decepcionou!

Tudo isso foi acompanhado de um vinho honesto na casa dos 80 reais. Enfim, a conta sai alta, mas vale cada centavo! Vamos voltar com certeza.

Talvez eu ainda suma, porque estou cheia dos eventos esse mês, mas isso é assunto pra outro post ❤

Rosa Mosqueta e Manteiga de Cupuaçu – Beleza

Sempre que sumo um pouco daqui eu tenho a impressão que só posso voltar com um post/notícia bombástico para compensar a minha ausência. Mas eu só tenho a velha desculpa da nossa geração, muito trabalho e um pouco de falta de criatividade também.

Mas vamos falar de um assunto que parece que o mundo anda viciado? Skincare. Há milhares de influenciadoras, blogs e notícias sobre o assunto. Tem muita coisa fora da minha realidade? Tem. Mas dá para adaptar coisas para a rotina. Por que quem tem tempo de fazer três passos de limpeza do rosto duas vezes por dia? Sorry por aqui não anda rolando hahahahah

Um coisa que também me questiono (problematizo) é o tanto de treco químico que estamos passando diariamente na nossa pele. Não vou ser a Gisele Bündchen e falar pra gente largar o protetor solar, não é isso. Até porque os efeitos do Sol são super nocivos. Mas se pudermos encontrar soluções mais naturais para manter o nosso maior órgão do corpo bonito e saudável, por que não?

A noite ando usado esse combo que eu ando amando! Manteiga de Cupuaçu e Óleo de Rosa Mosqueta. Ambos são 100% naturais sem aditivos ou conservantes.

A Rosa Mosqueta virou uma febre agora, mas ela já uma velha conhecida das nossas avós e era bem usada para ajudar a atenuar estrias, cicatrizes. Hoje usamos para rugas e linhas de expressão na pele, já que ela possui um potente efeito regenerador e emoliente sobre a pele, pois é rica em ácidos graxos como ácido oleico, linoleico e linolênico, além de Vitamina A.

Não acho o cheiro bom. Uso no rosto e no colo massageando bem para a pele absorver e durmo com ela. Vale lembrar que qualquer tipo de óleo deve ser sempre o último passo já que esse tipo de produto cria uma barreira na pele, por isso não adianta passar nada depois.

Já essa Manteiga de Cupuaçu foi uma ótima surpresa. Comprei pensando no inveno por ser ultra hidratante. O cheio é maravilhoso, dá vontade de comer hahahahhaa parece manteiga de cacau. A textura é complicada, endurece no frio, ai eu uso uma espátula pra tirar um pedacinho e conforme vai esfregando na pele, ela parece que vira um óleo. Um pedacinho rende muito, passo inclusive nos lábios e eles acordam novos. A pele fica muito macia.

Comprei os dois em uma feira que teve aqui em SP chamada Natural Tech.

Então vamos repensar em tudo que nossa pele absorve diariamente?

Pela ZL – URU Mar y Parilla

Se tem uma região que tem novidades toda semana esse lugar é o Tatuapé!

Na R. Emília Marengo, 109 fica o mais novo restaurante do bairro, o URU Mar y Parilla fica pertinho do nosso já amado Macaxeira, inclusive são do mesmo dono!

Fomos totalmente despretensiosos, mas chegando lá ficamos de queixo caído, QUE LUGAR MARAVILHOSO! Como o nome já sugere, o foco são as melhores coisas que a culinária uruguaia tem, carnes e frutos do mar.

Ele é grande, bem decorado, tudo de muito bom gosto e ainda sim tem cara de restaurante arrumadinho de praia, sabe? Nunca vi um restaurante tão bonito no meu país zona leste!

Fomos no domingo por volta das 13h e estava cheio já, esperamos uns 20 minutos uma mesa. Portanto, acho válido chegar mais cedo, ainda mais se for uma mesa com bastante gente.

Acredite se quiser, mas estava calorzinho no final de semana passado, por isso pedimos um vinho branco ainda na mesa de espera. A carta de vinhos é boa, os preços são a partir de 80 reais a garrafa e tem boas opções. Nossa escolha foi o Alamos Chardonnay que custa 110 reais, achamos o preço justo.

Para a entrada eu pedi uma empanada de queijo com cebola, a massa é uma delícia e custa cerca de 9 reais. A segunda entrada não agradou nosso paladar porque, na verdade, foi uma escolha equivocada. Era um ceviche de salmão, com leite de coco e manga. O salmão era uma delícia, eu prefiro o ceviche tradicional, mas se você gosta pode pedir.

O prato principal foi um problema para decidir. Há diversas opções de carne e olhando os pratos nas outras mesas pareciam deliciosos, mas optamos pelo polvo com aioli, que serve bem duas pessoas. Os acompanhamentos, inclusive das carnes, são pedidos a parte. Escolhemos batatas rústicas para acompanhar.

E gente, sem brincadeira, foi o polvo mais macio e gostoso que comi NA MINHA VIDA TODINHA! Sério, ele desmanchava na boca, maravilhoso! As batatas estavam uma delícia também.

Mais uma foto desse prato pra vocês morrerem comigo hahahahaha custa 89 serve duas pessoas e a batata foi entre 15 e 20 reais, não lembro.

Eu ia fazer uma ressalva falando que o atendimento foi bom, porém eles ficaram nos pressionando para escolher os pratos rapidamente, mas quando saímos de lá entendemos o motivo, tinha muita, muita gente na fila de espera. É daqueles restaurantes que dá vontade de ir ficando, pedindo um drink, uma entradinha, aproveitando o dia. Vida longa ao URU!